Silêncio

Há dias em que nada tenho para dizer. Estou deste jeito. Não me apetece falar. Quero estar calada, quieta e em silêncio. Há dias destes, há horas, momentos. Não estou mal disposta, nem chateada com ninguém. Não estou triste, nem me aconteceu nenhuma desgraça. Não. Só quero estar assim: comigo, sem pensar em mim.

Vão-se os anéis ficam os dedos

Esta vida de Perna Fina começou há cerca de 15 dias. Esta vida nova, que está cheia de outros sabores, tem sido fabulosa. Sinto-me bem em todos os sentidos. Sinto-me otimista e capaz. (Obrigada, 2014, por teres ouvido os meus pedidos. Até agora, estás a portar-te bem!) Têm sido bons dias.

Durante este tempo, tenho evitado pesar-me. Na verdade, ainda não me pesei este ano… Nem quero fazê-lo. Não estou com medo da balança, nada disso, só não me quero prender a um número. Não para já.Tenho, por isso, dado mais atenção ao meu corpo. Tenho-me observado com olhos críticos, mas conscientes. Tem sido um processo muito tranquilo, bem vivido.

Dizem que quando emagrecemos, tudo emagrece e a verdade é que começo a sentir as calças a alargar, os casacos a servirem-me melhor nos braços e até a roupa interior a ficar folgada. Ontem pus um anel, que comprei antes do Natal, e o maldito caiu-me dos dedos. Só consegui usá-lo no dedo indicador. Fiquei triste porque gosto do anel, mas muito feliz por perceber que até os meus dedos já aderiram à mudança.

As palavras de ordem? Ambição. Serenidade. Consistência.

#dica 4: snacks

Sempre que preparo snacks saudáveis para fazer pequenos lanches ao longo do dia, sinto-me capaz de controlar o que como. Sempre que não o faço, acabo por ceder à fome e comer a primeira “coisa” que me aparece à frente (ou tudo o que me aparece à frente): pão, bolos, cereais…

Eis a minha dica: preparem cuidadosamente o vosso dia e tenham sempre convosco alimentos que vos saciem entre as refeições principais: ovo cozido, frutos secos; iogurte (magro ou vegetal); cenoura; fruta; gelatina…

O meu dia de hoje:
– meio da manhã: um pacote de leite de soja, amêndoas, pevides de abóbora tostadas e algumas passas (não comi tudo!);
– meio da tarde: uma bolacha de aveia e banana e uma maçã;
– já em casa, antes de ir para o ginásio: um batido de leite de soja, aveia e meia banana (para ter energia durante o treino).

Organizem-se! Vai valer a pena.

Caril de frango com salada de couscous, beringela e pimento grelhados

Ingredientes:
Para o caril de frango:
– 2 peitos de frango cortados em cubos;
– ½ lata de leite de coco light;
– 1 cebola picada;
– 1 dente de alho picado;
– 1 colher de sopa de caril;
– 1 colher de chá de paprika;
– 1 colher de chá de cominhos em pó;
– Sal e pimenta q.b.;
– ½ caneca de água;
– 2 colheres de sopa de azeite;
– Coentros para guarnecer.

Para a salada de coucous:
– 1 caneca de coucous cozido;
– 1 beringela cortada às fatias de aprox. 1 cm;
– 1 pimento vermelho cortado às fatias;
– 1 colher de sopa de azeite;
– Sumo de ½ lima.

Preparação:
1.º Comece por cozer o couscous de acordo com as instruções da embalagem. Reserve;
2.º Num wok deite o azeite e refogue a cebola e o alho, até ficarem dourados;
3.º Junte as especiarias ao refogado, o sal e a pimenta, deixe incorporar e de seguida junte a água e o leite de coco (pode sempre ir acrescentando água ao longo da cozedura, caso necessite);
4.º Quando o preparado ferver, junte os cubos de peito de frango e deixe cozinhar durante cerca de 15/20 minutos.;
5.º Entretanto, ponha ao lume uma frigideira e grelhe as fatias de beringela e pimento, temperadas com sal e pimenta até ganharem cor.
6.º Corte as fatias de beringela em quartos e as de pimentos em tiras finas e junte-os ao couscous cozido. Adicione um fio de azeite e misture bem;
7.º Retifique os temperos do caril e junte os coentros e o sumo da lima.

Dica: Sirvam com fruta (abacaxi e manga ligam lindamente) e com uma colher de iogurte grego sem açúcar.

Deliciem-se, Pernas Finas!

caril de frango

Manifesto Por Umas Pernas (Mais) Finas

Tenho uma manifestação a acontecer dentro do meu roupeiro. As minhas velhas calças de ganga, que ainda se encontram em (bastante) bom estado, têm-se insurgido contra mim diariamente.

Dizem elas, que há muito tempo que não as visto… Há anos que não as visto! Sentem-se tristes comigo e reclamam o direito de voltarem a ser calças que dão nas vistas. Estão todas ciumentas por não lhes ligar nenhuma e vestir apenas uns exemplares da mesma espécie, que são muito maiores que elas.

Já lhes disse que gosto imenso de todas e que quero voltar a passear-me com elas no corpo, mas por enquanto não dá. A nossa relação está demasiado apertada. Quando as visto não consigo respirar. É sufocante.

Conversámos a sério e eu disse-lhes que estou a tratar afincadamente das suas novas condições de trabalho, para que possam voltar ao ativo o mais depressa possível.

Prometi-lhes passeios em dias sol, idas às compras e, na loucura, poderão ir comigo para o trabalho. As minhas calças ouviram-me com atenção. Acho que acreditaram em mim e viram que é desta que as minhas promessas são verdadeiras.

De qualquer forma, deram-me até ao verão para as voltar a vestir. Eu achei que o prazo era aceitável e o acordo que reclamavam há tanto foi assinado.

As miúdas de hoje em dia

As miúdas de hoje em dia,
Comem adubo ou outro fertilizante qualquer?
A sério, não percebo,
O que é que os pais lhes dão para comer?

São miúdas talentosas
E têm alta figura.
Devem ter uma boa vida,
Sem qualquer amargura!

São miúdas bem sucedidas
E muito populares.
São as mais giras da escola
E de todos os outros lugares.

E as miúdas de antigamente,
Também não eram assim?
Claro que eram!
Eu é que nunca fui uma delas. Fim.

#dica 3: apostem em super-alimentos II

A quinoa é uma semente cujo valor proteico é duas vezes superior ao do trigo, por exemplo. Para além disso, a quinoa possui aminoácidos que apenas se encontram em produtos de origem animal, como a carne e o peixe. É, por isso, muito apreciada por adeptos de dietas vegetarinas e celíacos (intolerantes ao glúten). A quinoa pode ser utilizada em pratos doces ou salgados e é muito fácil de preparar: basta cozê-la no dobro da quantidade de água. Leiam mais sobre este superalimentohttp://visao.sapo.pt/quinoa-a-semente-com-super-poderes=f744093

Espelho meu, espelho meu…

7 de janeiro: dia de voltar ao ginásio (e não me peçam para vos dizer desde quando não punha lá os pés). Sabia que ia ser duro, mas fui confiante.

Tenho sempre um misto de sentimentos no ginásio, onde se passeiam aqueles homens e mulheres com corpos esculturais. Eles com camisolas de alças e calções curtos. Elas com tops, que mais parecem sutiãs, e calças, com as quais mal devem respirar, de tão justas que são.

Invejo-as, confesso, mas não no mau sentido do termo (se é que há bom sentido na inveja). Invejo-as porque são disciplinadas. Estão lá todos os dias e vão a mais do que uma aula. Antes (ou depois) passam pela sala de musculação e pelas máquinas. Também devem comer bem!? Não se tem um corpo daqueles se se comer mal. É impossível. Ou então, são daquele tipo de pessoa, enervante, que come tudo o que quer e mesmo assim continua a ter um rabo igual (ou parecido) ao da Jennifer Lopez.

Nas minhas idas ao ginásio tento sempre passar despercebida. Estou ali, faço o que tenho a fazer e vou-me embora com a mesma ligeireza com que entrei. Hoje não foi exceção.

Entrei na sala das máquinas, dirigi-me às passadeiras e comecei a caminhar, pensando: ” ‘bora lá, Joana! És perfeitamente capaz de te aguentar à grande!” Caminhei/corri durante 50 minutos. Durante esse tempo não pude deixar de reparar nas tais moçoilas: correm a uma velocidade assustadora. É, não há milagres. Saí da passadeira e fui para uma das minhas aulas favoritas: Sh’Bam!

Sh’Bam é uma aula de dança, orientada por uma professora muito simpática e entusiasmada. Entreguei a senha sabendo que não era nova ali. Já fiz aquela aula dezenas de vezes. Eis senão quando vi uma imagem refletida no espelho (diga-se que a sala tem as luzes apagadas, quase como uma discoteca) e pensei: “Vês, Joana, neste ginásio há mais gente com a anca larga como tu.” Olhei de novo e percebi que a imagem que vi ERA A MINHA! Sabem aqueles segundos em que o cérebro pára?

Levei a aula bastante a sério (dentro das possibilidades de quem lá não vai há algum tempo). Havia em mim toda uma largura de ancas para estreitar. Às tantas, a professora, que é fabulosa, diz: “Vamos, mexam esse esqueleto!” E eu pensei: mas há aqui algum esqueleto para eu mexer!? Aqui só há chicha, chicha da boa. Ai, o que o Natal faz às pessoas. Ri-me de mim e do meu pensamento: “Boa, Joana. Noutra altura terias ficado… Deprimida?!”

Voltei para casa ainda de cara encarnada, tal foi esforço. Fiz uma nutritiva salada, jantei e acentuei a vontade de não voltar a confundir a minha imagem no espelho. Nem por um segundo.

Escolhas

Hoje escolhi não comer uma bela fatia de bolo de aniversário.

Hoje decidi ir ao supermercado à hora do almoço e ter o fim de dia livre dessa obrigação.

Hoje enchi o cesto de compras com abóbora, curgete, beringela, abacaxi, espinafres, manga, pêra abacate, batata doce, aveia, grão, feijão…

Hoje cumpri a minha primeira Meatless Monday: almocei hambúrgueres de grão e caril, com salada de rúcula e jantei uma bela salada de manga e feijão preto.

Hoje procurei ser saudável.

Hoje senti-me absolutamente feliz.

#dica 2: apostem em superalimentos I

Alguns blogues e sites sobre nutrição têm-se referido a alguns alimentos como superalimentos. Falam sobre alimentos cujos benefícios aparentam ser fabulosos para o nosso bem-estar.

Comam aveia! A aveia é um cereal que pode apresentar-se em flocos, farelo ou farinha. É rica em fibras e tem um alto valor proteico. Um dos benefícios da aveia assenta na regulação dos níveis de açúcar no sangue, o que pode ajudar a controlar os ataques de fome. Use a aveia em saladas, pão, bolos, omeletas. Quem nunca ouviu falar das famosas papas de aveia?