63

Hoje foi um dia muito feliz. Subi à balança e aos meus olhos, e aos olhos da minha querida doutora, apareceu um 63 (e uns pózinhos). Ficámos, as duas, muito felizes. O 63 era o objetivo inicial. O limite entre estar saudável e estar com excesso de peso. Hoje foi por isso estabelecido um novo objetivo.

Depois da consulta, já no carro, comovi-me um bocadinho. Chegar até aqui saiu-me do pêlo. Mas o que interessa, o que realmente importa, é que eu me sinto como nunca me senti: livre de um corpo que era meu, não o sendo na verdade.

E a minha doutora, a doutora Catarina, é a melhor do mundo. Foi a primeira pessoa da minha vida a mostrar-me que a relação que mantenho com a comida pode ser pacífica. Bem vivida. Sou-lhe muito agradecida. Obrigada, doutora, para sempre. (Eu sei que vai ler isto.)

Faltaste ao Crossfit, Perna Fina? Pagas com o corpinho que até guinchas.

Diz que na segunda-feira faltei à aula de Crossfit. Eu juro por todos os santinhos que não foi intencional. Atrasei-me noutros compromissos e acabei por não estar pronta a horas. Achei que devia mandar um mail, têm sido todos tão atenciosos comigo. Acabei por não mandar. Achei, também, que a minha falta passaria despercebida e que ninguém se lembraria dessa mancha no meu tão recente currículo de praticante da modalidade.

Hoje, assim que entrei na box, ouvi um grito:
– OH JOANA, tens aqui um presente para ti.
Uma rapariga olhou para mim com ar de pena e disse:
– Dali nunca vêm coisas boas.

(mais…)

Estou confusa

Ainda ontem dizia ai-que-está-um-calor-que-não-se-aguenta e hoje chego ao hipermercado e deparo-me com toda uma exposição de enfeites natalícios. Pronto, a decoração condiz com o tempo. Hoje esteve um frio medonho. Até os meus alunos, que são os Zés dos Calores, voltaram à sala para ir buscar os casacos.

Já eu, que tinha investido grande parte dos meus tostões em túnicazinhas e coisas do género, porque achava que este calor ia durar até janeiro, passei o dia a bater o queixo. Peguei em mim e fui em passo de corrida procurar um casaco (que uma Perna Fina constipada não rende no Crossfit).

Não encontrei nadinha que me agradasse e amanhã lá voltarei a tremelicar de frio. Ou então não. Talvez o sol torne a brilhar com todo o seu esplendor, e calor, e eu volte a poder usar os meus últimos investimentos na área da indumentária. Isto do tempo é coisa para maçar uma Perna Fina. Oh lá se é.

Segunda-feira

Por muito que te esforces,
Ninguém te acha muita graça.
Trazes agarrada a ti a rotina,
Que volta feita carraça.

Oh, segunda-feira,
Modera-te lá um bocadinho.
Não descansei tudo o que queria,
Só penso num óozinho.

Maldito dia sejas tu!
Mas por que insistes em ser assim?
És sempre tão dura.
Custa-me tanto a ver-te um fim.

Oh, segunda-feira,
Desiste lá de aparecer.
Se tu não existisses,
Eu teria outra alegria de viver.

“És uma dondoca”

Disseste-me tu hoje, irmão. Tudo porque insisti contigo ao pequeno-almoço para vires correr comigo e porque te chateei por estares a comer manteiga com torradas, se é que me entendes. O que eu acho que tu querias dizer era: “Cala-te, pá. Sempre foste gorda e eu sempre fui magro. Sempre fizeste dietas e eu sempre comi tudo o que quis. Oops, agora tu estás magra e eu estou gordo. Mesmo assim, isso não te dá o direito de me dizer que tenho de pôr menos manteiga no pão e que tenho de começar a correr, se não quero ver a minha vida amorosa arruinada para sempre, dado o tamanho da minha barriga.”

(mais…)

Queridas Bruxas

Queridas Bruxas,
Parabéns, hoje é o vosso dia. Espero que o estejam a gozar bem. Calculo que se tenham juntado todas, no vosso covil secreto, e tenham passado o dia a rever a lista de pessoas a quem vão querer mal durante o próximo ano. Já reviram as vossas estratégias de ódio dirigido? Tipo: inventar mentiras, falar mal nas costas, envenenar outras pessoas contra aquelas a quem desejam que aconteçam coisas más. Vão ficar-se por aqui ou este ano trazem alguma inovação?

Confesso que já chateia serem sempre tão más. Já enjoa. É que de pessoas, quero dizer, de bruxas como vocês eu nunca espero nada de bom. Estou sempre a ver quando é que me vão dar a próxima estocada. E o pior, suas dissimuladas, é que às vezes ainda me conseguem enganar. Vêm todas queridinhas, muito mansinhas, até parecem rastejar, e eu penso que é desta que largaram de vez a vassoura e se tornaram pessoas comuns. Engano-me sempre.

Bem, queriduchas, deixo-vos à vontade. Se acham que sou uma pessoa em quem devem aplicar as vossas estratégias de ódiozinho de estimação, força nisso. Por lidar convosco há tantos anos, já aprendi que a minha vida vai seguindo o seu curso como deve seguir e que, por muitos acontecimentos menos bons que eu tenha, os ótimos vêm sempre em dobro. Porque eu, ao contrário de vocês, e sem nenhuma modéstia, julgo que me tenho treinado para ser cada vez melhor e por me preocupar apenas com o meu bem-estar e com o bem-estar de quem me quer bem.

Minhas queridas bruxas, não comam demais hoje. Não se estiquem. Tenho reparado que a vossa bunda está cada vez maior. Acho que as pragas que me rogam têm ido todas para os vosso glúteos. Talvez se desejarem que eu me pareça com a Beyoncé ou outra do género…!

Vá, um grande beijinho nessa vossa verruga cerebral,
Perna Fina.

Filha da mãe

Sabem aquelas miúdas das revistas? Aquelas que têm umas pernas perfeitas, um rabo perfeito, uns braços perfeitos e umas mamas perfeitas, sabem? Aquelas que nós achamos que não existem, que são apenas fruto do Photoshop, sabem? Hoje uma dessas miúdas treinou ao meu lado. Como é óbvio, teve sempre os três treinadores à volta dela, a endireitar-lhe os ombros, a melhorar-lhe o agachamento… Já não lhe chegava ser perfeita por si só, como ainda será uma perfeita praticante de crossfit. E eu nem quero saber se a miúda é uma Einstein ou burra que nem uma porta. O que eu sei é que aqueles calções e aquele top/sutiã lhe assentavam que nem uma luva. Filha da mãe.

Mau feitio e uma queijada

Eu tenho mau feitio. Um feitio tão mau, que me faz bufar e revirar os olhos quando alguém ou alguma situação me incomoda. Não acho que este feitio me torne insuportável, não acho, mas, ultimamente, até eu começo a embirrar comigo. (mais…)

Regresso ao passado #2

Estou no meu centro comercial preferido e trago comigo algum dinheiro, que poupei para comprar umas roupinhas para mim. Adoro comprar roupa, sapatos e bijuteria. Faz-me sentir bem, mais bonita. Tenho observado o que se está a usar e já gosto de algumas coisas. Talvez compre umas calças apertadas na canela ou um vestido cintado. Também adoro aquelas botas de cano alto. Ficam giríssimas por cima das calças de ganga. E os casacões de lã? ADORO. (mais…)