Neste momento, que estou mesmo focada em comer sempre bem e a treinar mais afincadamente, fazer a preparação das minhas refeições ganha mais importância que nunca. Por isso, não posso, jamais, ser apanhado desprevenida. Onde trabalho tenho direito a almoço, mas nem sempre as refeições são aquilo que preciso. Quando me lembro de ver a ementa, decido se levo comida minha ou não. Se não sei mesmo o que é, na dúvida, levo uma marmitinha minha. Ser apanhada desprevenida é que não. Hoje, à falta de melhor, pus uma latinha de atum na lancheira. À fome não morria. Sem chão não ficava. Esta atitude, vai ajudar-me a ir [mais] longe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *