Mês: dezembro 2017

Divorciei-me!

Estava, há mais de três anos, à espera deste dia. Do dia em que pudesse, finalmente, fechar o capítulo do maior desamor da minha vida. Apesar desta relação já ter acabado há muito tempo, só hoje a encerrei definitivamente. Hoje divorciei-me. Não foi um divórcio à séria, porque não tínhamos casado. Não tinha havido o vestido, nem os convidados, nem a festa, nem o bolo. Não tinha havido nada disso. Só o resto. O bom e o menos bom. Mas houve um bem comum, que hoje deixou de ser meu (e ainda bem). Por isso, hoje, com todos os papéis assinados e com as contas feitas, sinto que me divorciei. Há algum tempo que me sinto muito livre de mim. Hoje, acho-me nas nuvens. Esta porta fechou. Acabou! Divorciei-me!

Gatos do aeroporto

Eu fico toda nervosinha quando entro num aeroporto. Assim, toda ansiosasinha, excitadinha. Gosto muito de me pisgar daqui e ir para o mundo. Por mim, estava sempre de rabinho num avião, para cá e para lá.

Junta-se a este meu entusiasmo, o facto de no aeroporto haver muitos gatos. Homens giros que se fartam, passam por todos os corredores, a todas as horas. Portugueses, estrangeiros. Lindos, lindos.

Os comissários e os pilotos são qualquer coisa. Podem não ser uma estampa, mas aquele estatuto de quem tem um avião nas mãos dá cabo de mim. A farda ajuda. Muito! E eu nem era destas coisas, mas os 30 deram-me para isto.

Acho que o aeroporto é um bom sítio para se lavar a vista, que funciona como topping do delicioso que é viajar. Gatos do aeroporto… São só os meus olhos ou tenho apoiantes nesta teoria?