Olá, Boazonas do Instagram, como estão?

Eu estou bem, obrigada, não fiquem apoquentadas a achar que me vou pôr p’raqui a lamentar a minha vida, nada disso. Mas bom, calculo que estejam melhor que eu, não é verdade?

Até porque estão sempre em altas, estou certa? Sempre alegres, sempre bem vestidas, sempre bem maquilhadas, sempre a comer (pouquíssimo) em sítios super in.

Convosco não há TPM, não há dias em que o cabelo pareça um ninho de ratos, não há mau humor, não há celulite, estrias, não há falta de dinheiro, não há dias de trabalho de 12 horas. Não há.

São assim: comem bem a todas as refeições, treinam muito, maquilham-se com as melhores marcas, usam as jóias mais brilhantes, têm os namorados mais gatos.

Ótimo, Boazonas do Instagram, ótimo! Fico muito feliz por todas, enquanto choro em posição fetal as dores que tenho nos rins, dada a altura do mês.

Porque eu não sei se sabem, mas as pessoas comuns padecem de cenas chatas, têm problemas para resolver e nem tudo se resume a um filtro.

Era só isto. Alguém tinha de vos dar a saber a realidade. Se um dia se dignarem a descer até aqui, venham tranquilas. Parece difícil, mas até se leva.

Aqui come-se, dança-se, chora-se, abraça-se, bebe-se, treina-se, têm-se uns desgostos, procuram-se outros, vive-se. É fixe, acreditem.

Ou então não venham, que nos ajudam a sonhar. Esse vossos rabos em forma de emoji de pêssego são uma grande ambição na minha vida. Tinha dois, se pudesse. Continuem a exibi-lo, por favor!

Vá, um grande beijo nessa bochecha cheia de makeup,
Joana.

5 Comments on Carta aberta às Boazonas do Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *