Sempre gostei de iogurtes. Qual é a criança que não gosta? À medida que fui crescendo, fui percebendo que sempre que comia lacticínios ficava mal disposta. Ninguém falava de intolerâncias há 30 anos! Portanto, lá continuei eu a sentir-me mal, sem saber porquê.

Aos 28 anos, com acompanhamento médico, descobri que sou intolerante à lactose. De repente, a minha vida alimentar mudou drasticamente. O que é eu ia comer a meio da manhã? Como viveria sem o meu iogurte? Aos poucos, dei por mim a procurar alternativas que me soubessem bem e não me causassem indisposição.

Desde que descobri esta minha condição, comecei a comprar alguns iogurtes lactose free. Uns eram muito gordos ou demasiado açucarados, o que não me ajudava nada na perda de peso. Outros eram grossos, tipo papa. Nada o meu género. Fui desistindo. Iogurtes nunca mais, achava eu!

A pensar em mim e em todas as pessoas que sofrem com este tipo de intolerância, Activia criou uma nova opção sem lactose, em três novos incríveis sabores: natural edulcorado, kiwi e pêssego. Eu já pude experimentar os novos Activia e posso garantir: estamos a falar de um produto cremoso, leve, de uma belíssima opção de pequeno-almoço ou lanche.

Afinal, há vida para além das intolerâncias! Felizmente, posso voltar a dizer que uma vida sem lactose, não é uma vida sem sabor.

[Texto escrito em parceria com a Activia]

1 Comment on Activa Sem Lactose

  1. Anos e anos em que o meu pequeno-almoço se limitou a ser uma caneca de leite ou um iogurte, porque ficava logo a sentir-me muito cheia. E eu a pensar que o meu problema era não conseguir comer muito ao pequeno-almoço… Porque, como a Joana diz, ninguém falava de intolerância à lactose há 20 ou 30 anos atrás.

    Aos 28 anos também descobri que o problema está mesmo no leite. E no meu caso, não é só na lactose. Proteínas incluídas. Portanto, não posso consumir qualquer tipo de leite ou derivados, o que dificulta ainda mais a vida de quem sempre esteve habituada a comer iogurtes diariamente. As opções de origem vegetal têm vindo a aumentar, felizmente, mas nem sempre é fácil encontrar boas opções em termos nutricionais, nomeadamente em termos de iogurtes (sem falar que são sempre mais caros). Mas uma coisa é certa: o meu organismo agradece esta descoberta e já aprendemos a viver com isso. 🙂

    Um beijinho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *