Eu nunca gostei de correr. Achei sempre tonto correr só porque sim. Ainda se fosse atrás de alguém… Ou à frente! Correr só porque sim era uma ideia que não me entrava na cabeça, mas há uns tempos entrou. No início do blogue, quando decidi mudar de vida, comecei a correr. Não sabia tempos, nem distâncias, só sabia que era uma pessoa obesa a tentar mexer-se. Caminhava e corria um bocadinho, até que o peso foi baixando e eu consegui correr, sem parar, uma subida tramada perto de casa. Depois conheci o Crossfit e as corridas foram ficando esquecidas na minha vida. Nos meus treinos também há corrida, mas eu sinto que a faço sempre em esforço. Por isso, voltei às corridas, à séria, duas vezes por semana. Sem olhar para os tempos, sem olhar para as distâncias. A olhar apenas para o desafio e para a liberdade que sinto em correr, na rua, sobretudo agora que chegaram os dias bons. A corrida seca o corpo [tenho de vos falar sobre o que ando a fazer nesse sentido], mas também massacra muito os músculos e as articulações. Por isso, isto não é para meter na cabeça que agora vou preparar-me para uma maratona d’hoje para amanhã, é só mais uma forma de me desafiar e de reforçar esta mudança que trouxe para a minha vida de todos os dias. Para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *