Eu tinha vergonha de comer em público. Foi uma coisa que fui desenvolvendo à medida que as dietas que ia fazendo iam falhando. Era como se estivesse aos olhos de todos que tinha fracassado mais uma vez. Como se olhassem para mim com olhos de juiz. Era o que eu sentia. Por isso, a certa altura, começou a ser muito desconfortável comer à frente de outras pessoas, que não fossem as da minha família. Acho que foi aí que os episódios de compulsão começaram a acontecer, uma e outra vez. Comia muito. Comia sozinha. Comia sem o mundo ver. Comigo. Era impensável, por exemplo, eu passear-me num centro comercial com um gelado na mão. Impensável. O que é que os outros iam acham de mim? Que era uma gorda a querer ficar mais gorda ainda? Todas estas minhas preocupações ocas caíam por terra quando em casa comia meia caixa de gelado, não é verdade? Afinal, não estava ninguém a julgar-me, que mal tinha? Eu sou uma pessoa observadora. Ultimamente, tenho dado por mim a reparar, discretamente, em pessoas com excesso de peso e já por uma vez ou outra vi comportamentos muito semelhantes aos que eu tinha: esconder no bolso ou na mala o chocolate que se acabou de comprar, sentar-se num sítio isolado a comer um Menu Big Mac, recusar qualquer coisa, enquanto os olhos brilham de vontade de devorar a oferta. Eu já fui assim. Acho até que ainda sou um bocadinho… Agora, o que eu tenho aprendido é que interessa muito menos o que comemos em público, do que o que comemos sozinhos. Não que em público possamos comer meio porco, nada disso, mas então que também não o façamos sozinhos. Ninguém devia ter vergonha de ser visto a comer, mas acontece mais do que se pode imaginar. E dói. E devia preocupar mais gente do que preocupa. A sério.

4 Comments on Vergonha de comer

  1. Como eu reconheço esta vergonha… já a tive e muito! Como isso me magoava e ainda magoa :-(, mas estou a melhorar, estou a aprender.
    Gosto mesmo muito e faz-me tão bem ler-te… é bom saber que não sou a única que passa ou já passou por estes medos, estas vergonhas!
    Beijinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *