Quando é que eu fico verdadeiramente preocupada comigo? Quando perco o apetite. Quando não me apetecem cenas, é mesmo sério. Nos últimos dias não me apeteceu nada. A doença bateu forte cá dentro e vontade de comer nem vê-la. As drogas que o médico me deu já estão a fazer efeito e a prova disso é que hoje passei o dia a pensar em brigadeiros. Comi um gelado. Não é parecido, mas matou-me o desejo de um doce. O que está aqui em causa é que voltei à Joana de sempre. Ou melhor, voltei à Joana de há uns anos para cá. Porque a de sempre enfim, teria comido este mundo e o outro. Está tudo bem, então. Ufa, desta já me safei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *