Eu, que nos tempos de escola não corri duas voltas ao campo. Eu, que nunca fui capaz de fazer uma cambalhota para trás. Eu, que tive quase sempre negativa a educação física, que fui sempre a última a ser escolhida para as equipas dos torneios escolares. Eu, que jamais me senti perto de me ver como uma pessoa atlética. Eu, que não páro de me surpreender comigo própria, hoje fiz 10 rondas de 5 pushpress e de 7 frontsquats, com 25 quilos, abaixo dos 15 minutos, o tempo limite. Eu, que me esforço todos os dias um bocadinho mais, estou na minha melhor forma física de sempre. Eu, que nem nos sonhos mais bonitos me imaginei a ser capaz de mudar a minha vida desta maneira, tenho o peito a rebentar de orgulho próprio. Eu tenho muito orgulho em mim. Tenho mesmo.

1 Comment on Orgulho próprio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *