Provavelmente sabes que isto acontece mais vezes do que é suposto, mas ainda não tiveste força suficiente para admitir a ti mesma que nem sempre comes porque tens fome. Verdade? Quantas vezes comes porque te correu mal o dia? Porque te zangaste com o teu namorado? Ou até porque achas que te apetece, ou mereces, só porque sim? Quantas vezes? E comes um iogurte natural ou umas cenouras cruas? Ou um pãozinho com alguma coisa? Não, pois não? Comes doces, batatas fritas de pacote, salgadinhos, esse tipo de lixo alimentar que sabes que não deves comer, porque atrasa os teus objetivos, mas que te sabe tão bem. Sabe bem na altura, que depois toda tu és culpa e remorso e desgosto próprio. Tu comes porque encontras na comida um escape para o que não te corre tão bem, para o que te entristece, aborrece, frusta. Há quem fume. Há quem tome drogas. Há quem vá correr. Há quem discuta com os outros. Tu comes. Se fores contar isto alguém, é bem capaz que se riam na tua cara e que te digam: tu és é uma grande gulosa. Tens de fazer uma bruta duma dieta e perder uns quantos quilos. Fecha a boca, pá! Também já te aconteceu este tipo de conversa, não já? Depois tu morres de vergonha e só vais querer comer mais, só vais engordar mais, só vais ser mais infeliz contigo. Por isso, deixa-me que te diga uma coisa que talvez nunca ninguém te tenha dito: parece que este ciclo de culpa não tem fim, mas tem. Dá muito trabalho, um trabalho diário, mas é possível. E podes achar que eu te vou dar uma grande música quando te disser que o primeiro passo é acreditares que és capaz de tomar conta do teu corpo e das tuas decisões, mas esta é a mais pura das verdades. Assumir que fazes isto e que queres parar é fundamental para inverteres a situação. Depois, um acompanhamento especializado, um plano alimentar que te satisfaça, um desporto que te entusiasme e tudo será diferente. Acredita. Se nunca mais vais ter vontade de comer, mesmo que não tenhas fome? Claro que vais! Mas, aos poucos, vais conseguir controlar-te melhor. Vais perder peso. Vais cuidar e gostar de ti. Como nunca. Quem sabe para sempre. ‘bora, miúda! Tu sabes que não comes porque estás com fome, estás com outra coisa qualquer. Descobre o que é, o que te insatisfaz. Procura conhecer-te melhor. Vai. Vai com fé. Vai com tudo. Encontra o que te faz feliz. Liberta-te. Está tudo nas tuas mãos, mesmo que aches que és um desastre com pernas, não és. És capaz de tudo o que quiseres. Mesmo.

8 Comments on Não estás com fome, estás com outra coisa qualquer!

  1. Acabei de comer um pacote de batata frita de presunto sozinha. Tinha de ser… passei 9 horas no hospital e deixei la o meu irmão internado. O meu corpo não merece. Os meus treinos de cross ficaram hoje deitados no tapete… Mas chegar a casa e não ter ninguem com que falar não ter ombro para chorar, são apenas uma milesima parte daquilo que sofri hoje. Dias não sao dias. Mas hoje bati no fundo…tao fundo que comi um pacote de batatas fritas de presunto ( dos grandes)

  2. Concordo a 100%! mas também sei, por experiencia própria que a comida-lixo é o conforto de que eu preciso quando estou deprimida, frustada, só…para mim ir para o ginásio não me trás conforto, até porque tenho vergonha do meu corpo no meio de tanta gente magra no ginásio! nunca fumei, nunca usei drogas, A comida é a minha amiga nesse momento, o ombro amigo, o conforto, E depois? depois é o que sabemos, sentimento de culpa, frustação etc. a nossa cabeça não funciona nesses momentos…apaga-se tudo, como se ficassemos cegas! Haverá alguem que nos ensine a mudar? não há pilulas mágicas, para o momento! não andamos com um analista atrás…alguem que nos ensine!

  3. Quantas e quantas vezes. E é esse recomeço que me mantém num peso considerado saudável, mas já pesei mais 15 kg! Eu diria mais… Para mim comida é um vício! Descreveste-o na íntegra. Só não lhe deste um nome. Mesmo optando por estilo de vida saudável há mais de 8 anos, ele ainda está lá! Poucos percebem. Parabéns pelo blog! Beijinho, Carla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *