image
Há duas semanas que não treinava. Na semana antes da viagem optei por descansar o máximo possível, para estar à altura dos miúdos, e durante a estadia em Londres, apesar de ter estado muito ativa, também não me exercitei como numa semana de treinos. Por isso, o preguiçoso do meu corpo, que rapidamente se habitua ao descanso, deve ter achado que tínhamos voltado ao antigamente e relaxou por completo. Desde segunda-feira que tenho treinado todos os dias. O meu treinador, que não liga nenhuma às minhas lamentações, ignorou por completo o facto de não me mexer há quinze dias e puxou por mim como se nada se tivesse passado. Resultado? Toda eu sou dor. Pareço uma velhinha a caminhar, porque as dores nas pernas são tantas, que às vezes parece que as tenho em chamas. E os braços? Deus me livre! Hoje dizia à minha mãe: este treino deu cabo de mim. E gania, gania de dor. A minha mãe, que tal como o meu treinador não passa cartão nenhum às minhas pieguices, disse: há dois anos que te queixas, mas continuas a ir. Faz-te bem, por isso cala-te e aguenta. É o que vou fazer.

1 Comment on Cala-te e aguenta

  1. como me revejo neste texto! XD Ainda na semana – que foi especialmente dura – caí no erro de dizer ao coach que não aguentava mais dos braços – no shoulder press – a resposta dele ” não aguentas? ok, quero mais 2!”
    um dos lemas da minha box é “não chora!”. eu também me queixo, mas volto sempre XD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *