trevo

Penso eu, sempre que a vida se encarrega de, sozinha, me tirar algo para depois me dar em dobro. E não sei se acredito na predestinação. A sorte também se busca, também se trabalha, também se conquista e eu julgo fazer isso tudo. Talvez seja assim porque mereço. Talvez seja assim só porque sim. Danem-se os invejosos. Eu sou mesmo uma pessoa cheia de sorte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *