De ter uma voz grave, assim daquelas mesmo sexys e misteriosas. Há gajas que falam e ficam logo envoltas numa aura brutal, como se fossem uma espécie de deusas ou isso. Mas não. Eu nasci com uma voz que mais parece um conjunto de campainhas e buzinas, a tocar cada uma de seu jeito. De corpo já não trocava com ninguém. Agora de voz, fogo, de voz trocava e era já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *