image

Ninguém, bom da cabeça, seria capaz de oferecer um copo de vinho a um alcoólico. Mas muito facilmente, se oferece uma fatia de bolo a uma pessoa que tem problemas com a comida. Porque as pessoas não percebem esta dependência. A luta que é resistir, não comer quando está mesmo ali. É difícil. É muito difícil. Eu sei que às vezes não é por mal, mas porra, é tempo de se levar isto mais a sério. A dependência de comida é da mesma dimensão da dependência das drogas, do jogo, do sexo, do que for. Ok, a comida não sobe à cabeça, não faz cambalear, mas tem outras complicações. Complicações sérias. Profundas. Quando eu recuso um doce, a muito custo, não estou a fazer charme, nem a querer ser mais magra. Estou a educar-me nas exceções. Nos extras. Os outros não percebem, mas está na altura de começarem a perceber.

3 Comments on Os outros não percebem

  1. Concordo e isso também me faz confusão. É que muitas vezes não se limitam a oferecer a fatia de bolo, ainda insistem com o famoso “não me vais fazer uma desfeita dessas”…

  2. Eu tenho sempre esse problema, cada vez que vou a casa do meu namorado oferecem-me de tudo: chocolates, bolos, bolachas… e passo sempre pela menina que nunca quer nada. Mas já o avisei e ele agora já diz que também não quer e que aquelas coisas fazem mal!

    Beijinhos*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *