É verdade universal: para se perder peso tem de ser comer bem e mexer o rabo. Durante muito tempo eu achei que o mais difícil era empenhar-me a sério no exercício. Sempre me mexi muito pouco. Achei que nunca seria bem sucedida, desportivamente falando.

Quando fazia dietas, e comia muito pouco, continuava a mexer-me muito pouco. Até porque não tinha combustível para grande coisa. Ia perdendo peso, ia ganhando-o de volta. Nada era muito consistente.

Hoje, a minha realidade é muito diferente. O que me custa não é treinar todos os dias. O treino funciona como terapia. Vou lá, rebento-me toda, e saio melhor do que entrei. O treino não me custa, desafia-me. É um bem adquirido. Já faz parte de mim.

O que me custa, mesmo a sério, é comer bem todos os dias. Não me refiro às refeições principais, essas estão sempre asseguradas, refiro-me aos extras. Eu tenho um plano alimentar, que me dá tudo o que preciso, mas, às vezes, a minha gula fala mais alto.

Nos últimos dias a minha gula tem conseguido ser muito, muito persistente e eu tenho-lhe cedido algumas vezes. A minha gula clama, quase sempre, por chocolate. Chocolate de todas as maneiras e feitios, de todos os sabores, a toda a hora.

Na semana passado fui à consulta e conversei sobre isto com a Dr.ª Catarina. O meu problema são os extras. Eu como bem e treino muito, mas se continuar a permitir que estes extras existam não vou conseguir atingir os meus objetivos.

Os meus objetivos passam por me sentir absolutamente bem com o que vejo ao espelho. Já ultrapassei a fixação que tinha pelo número do meu peso. O peso é o que é. Interessa-me mais o que vejo, independentemente de ter mais ou menos dois quilos do que já tive.

Talvez tenha de lidar com esta gula para o resto da vida, até porque gosto demasiado destas comidas do demo para as conseguir banir, eternamente. Vou ter de continuar a trabalhar o autocontrolo e a aceitar os falhanços, tentando que sejam cada vez menos.

10 Comments on O mais difícil

  1. Eu também tenho cumprir o plano alimentar…confesso que sou um pouco indisciplinado…chegando a confrontar a minha nutricionista com a ausência de “chocolate” no meu plano…já treinar todos os dias…isso é fixe 😉

  2. Comigo tem sido sempre assim .
    Fazer dieta comer muito pouco .
    Zero exercício. Perco peso mas não consigo manter . E são tentativas atrás de tentativas que dão resultados mas por muito pouco tempo. Neste momento é o desespero que toma conta de mim ?

  3. Sou como tu!!!
    O meu problema mesmo é os ataques de gula, porque nas refeições como relativamente bem…
    E para piorar as situações, estes ataques dão 80% das vezes à noite, ou seja, não há forma de tentar remediar o problema :/
    Tem de ser um dia de cada vez.. 😐
    Beijinho

  4. Eu podia ter escrito este teu texto palavra por palavra! É impressionante como me revejo em tudo que dizes. O treino é a melhor parte do meu plano, adoro dar o meu máximo, sair do ginásio de rastos, com a sensação de missão cumprida e ver as trnasformações (muito lentas) que o treino faz no meu corpo. O plano alimentar também o faço bem, o problema é tudo o que me apetece comer para além do plano, principalmente o CHOCOLATE, de todas as formas e feitios! Se quiseres desabafar manda-me um mail, é bom ter alguém com quem falar destas coisas, alguém que peceba exactamente aquilo que estamos a sentir… 🙂

  5. O meu problema reside no cair em tentação um bocadinho: consigo estar ao pé de chocolates e bolos sem lhes tocar. Mal lhes toco é um problema 🙁 é o tudo ou o nada no seu esplendor e isso assusta-me. Esta falta de equilíbrio que o meu cérebro comanda é demais.

  6. O meu grande problema também são os “extra” e se cedo uma vez aí sim o caldo entorna por completo e só consigo parar quando acabo com as bolachas que disse só ir comer uma ou com o chocolate ( que apesar de ser o 70% de cacau) também só paro quando não há mais nada dentro da pratinha e não adianta de nada beber água para enganar a fome que não é fome, este meu descontrole assusta-me, pois não consigo resistir a estes ímpetos e por vezes consigo estragar todo o esforço de uma semana.

  7. Sou igualzinha! Adoro treinar, as refeições não são o meu problema, a gula dos “extras” é que dá cabo de mim. Uma dica que por vezes resulta comigo é lavar imediatamente os dentes no momento que apetece atacar a despensa. A sério que resulta!
    O problema é que nem sempre vou lavar os dentes ?

  8. Podia ter escrito este mesmo treino. Não me importo de treinar nem do que tenho que comer, o problema mesmo é o que não posso comer (e pecando, acabo sempre por me descontrolar). Vou trabalhar neste equilíbrio, é tudo da nossa cabeça!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *