image

Calculo que não haja quem não queira ganhar mais dinheiro. Andamos sempre a fazer uma gestão entre o que recebemos e o que gastamos. Pergunto-me, muitas vezes, como será poder comprar ou ter tudo o que se quer. Como será? Como será comprar coisas sem olhar para a etiqueta do preço? Enfim. Talvez nunca venha a sentir esta sensação de tranquilidade na hora de pagar as minhas despesas ou os meus luxos, mas sonhar não custa. Isto porque, quando falo no CrossFit, recebo comentários a dizer que é uma modalidade cara e, sobre isto, tenho algumas coisas a escrever.

Em primeiro lugar a noção de caro e barato depende muito da carteira de cada um: quem ganha mais pode gastar mais do que quem ganha menos. Quanto a isto há muito pouco a fazer. Pudesse eu e a Zara não tinha descanso. Depois, há muita gente, eu incluída, que às vezes não direciona bem os focos do seu dinheiro. Há as despesas, as obrigações às quais não podemos fugir, mas há, também, uma série de outras coisas que pagamos, sobre as quais devíamos pensar e, no mínimo, fazer escolhas.

Pagar o CrossFit é pagar a minha saúde e o meu bem estar. É ter a certeza que sou acompanhada de forma individualizada, tendo exercícios adaptados à minha progressão e às minhas necessidades. É terapia. É desafiar-me a ser melhor e mais forte. Hoje em dia, graças ao meu trabalho e à forma como giro os meus ganhos e as minhas despesas, posso pagar por este serviço, que é, para mim, fundamental.

Se um dia não puder, terei de reconsiderar as minhas prioridades. Porém, tenho a certeza que poria a mensalidade do CrossFit à frente da manicure, do cabeleireiro, do tabaco que não fumo, das saídas à noite semanais, dos jantares fora, das roupas e das botas que gosto de comprar. Mas ei, cada um gasta o dinheiro que tem onde quer. Neste momento, esta é a minha realidade. Se um dia mudar, eu logo pensarei no assunto.

4 Comments on Sobre o preço e o valor das coisas

  1. Subscrevo ? Beijinhos, é uma inspiração diária, que estou agora a tentar voltar ao que era, tentando colocar as desculpas para trás das costas… vivendo e tentando. Grata pelo que tenho e pela possibilidade de pelos menos tentar fazer escolhas melhores… Obrigada

  2. Concordo plenamente. Deixei de sair à noite todas as semanas, deixei de fazer a pedicure e a depilação no salão e aprendi a fazer sozinha, deixei de comprar roupa todos os meses, deixei de fazer extravagâncias para poder ir ao ginásio e me alimentar melhor. Resultado: sou mais saudável, não compro por comprar mas porque preciso, deixei de arranjar desculpas para não treinar, sinto-me muito melhor, tenho mais confiança, mais auto estima e gosto mais de mim. Para além de me sentir uma gata e poder vestir o que me apetece sem ter preconceitos. Deixei de gastar o dinheiro em coisas que não me acrescentam em nada e mudei o meu foco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *