Eu nem sempre soube lidar comigo. Acho que me ouvia pouco. Sobretudo em relação ao meu corpo. Eu não gostava dele, é certo, mas eu também não me dedicava a perceber o seu funcionamento. Vivia numa atividade permanente de autoengano. Eu explico. Eu queria ser magra, mas comia sem parar. Pesava-me muitas vezes. Quando me assustava com os números deixava de comer. Emagrecia. Vinham-me as fomes e eu voltava a comer. Engordava. Anos a fio.

Outra coisa que fazia, sempre que estava a ser acompanhada por algum técnico, era adiar as consultas, achando, num perfeito devaneio, que se emagrecesse aos olhos da nutricionista ela ficaria feliz. Como se a minha perda de peso fosse para ela, para a agradar ou como se me fosse pôr de castigo por não ter emagrecido. Se não adiava a consulta, não jantava no dia anterior e no próprio dia comia muito pouco ou quase nada. Que palhaça que eu era.

Acho que hoje sei lidar melhor comigo. Numa das consultas a doutora disse-me que nunca poderei ser daquelas pessoas que come, come, come sem pensar nos efeitos que isso terá no meu corpo. Terei sempre tendência para engordar, eu sei. Porém, hoje já não me engano, nem me puno. Se comi, comi, está comido. Como só às vezes, em situações especiais. Já não me peso diariamente, nem adio consultas. Assumo o que faço, aceito e sigo caminho. Levei anos a aprender isto.

1 Comment on Saber lidar comigo

  1. É por isso que gosto de vir aqui. No que me identifico, identifico-me a 200%, no que não me “identifico” tanto, espero um dia identificar porque a minha luta “psicológica” é a mesma. Caramba, como nos faz bem saber que não estamos sozinhos! Obrigada! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *