Mês: Janeiro 2016

Inspira-te, Perna Fina #7

image
O Carnaval está a chegar e com ele chegam também fotografias de montes de mulheres brasileiras, boas nas horas, em preparativos para os mais variados eventos carnavalescos. Esta Sabrina Sato é uma apresentadora muito famosa, conhecida também por ter um corpo muito cuidado e um estilo de vida saudável. As pernas dela matam-me de inveja. Mesmo. De tal forma, que acho que vou colar esta imagem no espelho do meu quarto, só para me inspirar a cada manhã.

Os meus alunos são os melhores do mundo #8

A sentar-me dei um pequeno grunhido de dor, porque ontem foi dia de deadlift e estas perninhas estão pela hora da morte.

Aluno – Oh, Joana, a Joana tem de parar um bocadinho com o CrossFit. É que sempre que se mexe diz ai, au, ui. Sabe do que é que a Joana precisa? De umas belas boladas. (Muitos bolos, entenda-se.)
Outro aluno – Depois voltamos a ter a professora do 1.° ano!

Como se não tivesse sido eu. Porque fui, mas com mais 20 quilos.

Os meus alunos são os melhores do mundo #7

Aluno – Joana, dê-me lá uma ideia para um texto. Já esgotei todas.
Eu – (Ele odeia romances e namoros e cenas.) Escreve sobre um miúdo que está perdidamente apaixonado por uma miúda e tudo o que faz para a conquistar. Ãh?
Aluno – Podem ser dois porcos apaixonados em vez de pessoas? A Joana sabe que só gosto de escrever sobre animais.
Eu – Não, escreve lá uma história de amor entre dois humanos.
Outro aluno – Até porque os animais não se apaixonam, só se reproduzem. Tipo os porcos: olham para uma porca e pronto, acasalam. E as porcas estão sempre prontas para acasalar. Não se conquistam percebes?
Aluno – Joana, então vou só escrever sobre porcos. São bem mais fáceis que os humanos: não se apaixonam, reproduzem-se e já está.

Achei que não era a altura certa para lhe explicar que há humanos que parecem porcos. Só me ri por dentro.

Bagel, um grande amor

image
Nunca tinha comido isto, mas provei no outro dia e agora ando doida varrida por comer outra vez (e outra ainda). Porque às vezes, ao final do dia, dão-se-me umas fomes antes dos treinos! Sempre antes dos treinos, que depois é ver o bagel a escorrer-me lombo abaixo a cada repetição do WOD. Há sítios especialistas nisto ou quê?

1 waffle, 150 burpees

image

Há coincidências do diabo: hoje, à hora do almoço, comi um waffle. Aquela treta deve ter p’ra cima de 517 calorias, mas eu comi à mesma. Soube-me lindamente. Eu, pecadora, me confesso. Cheguei ao treino e tinha para fazer, entre outras coisas, 150 burpees. Leram bem? 150 BURPEES. E eu pensei: chiça, que destino o meu, que cuida tão bem de mim. Como se vida me dissesse: ai malhaste o waffle, agora vais fazer burpees até vomitares parte do intestino. Porque esse é o efeito dos burpees, fazer com que pareça que nos vai saltar um órgão pela boca a qualquer momento. Ai, que vida a minha, que vida a minha. Já foi pior.

Nota: Fiquei-me pelos 100 burpees. O coach achou que no fim desses 100 eu já estava prestes a bater a bota e não me deixou continuar.

Casava-me

image
Este tipo, o Rich Froning, é o big boss do CrossFit.
É uma espécie de 2 em 1: giro e empenhado nos treinos.
Mas já tem mulher e filhos. Estou fora, então. Só por isso.

Pistols

image
Andei uns dias com umas dores no rabo que Deus me Livre. Mas umas dores que eu não tinha há muito. Doía a levantar, a sentar, a deitar. Doía mesmo que estivesse parada. Normalmente, eu sei de onde vêm as minhas dores, mas desta vez não estava a perceber. Depois lembrei-me que no treino de quinta-feira houve pistols. Pistols, no CrossFit, são agachamentos de uma só perna. Aquilo roça o inferno. Eu, que ainda não consigo fazer uma pistol impecável, fiz o exercício com uma progressão que me ajudou a ter mais força para executar o movimento. Foi pumba, pumba, sempre a dar nas pistols e, com muito esforço, lá fiz as 100 repetições previstas no WOD. Moral da história: o meu rabinho vai ter de se habituar a isto, porque, a ver pelas dores, os resultados serão promissores. Por isso, se me virem por aí a disparar, não estranhem: sou só eu a arredondar esta traseira.

Receitinhas das boas, por favor!

Pernas Finas,
Se há coisa que eu gosto é de escrever. Gosto, sobretudo, de escrever devaneios vários sobre a minha vida. Se há coisa que eu não gosto tanto é de escrever receitas.

Por isso, vinha pedir-vos que me ajudassem nisto. Gostava que partilhassem comigo receitas do bem, que fazem no vosso dia a dia, com o compromisso de eu as confecionar, provar e publicar aqui no blogue.

A vossa identidade seria sempre preservada, claro está, passando assim o vosso nome a figurar no separador de receitas da Perna Fina. Não é do caraças? Enviem-me, por favor, as vossas receitas para geral@pernafina.pt

Não se acanhem, meus amores. Todos juntos podemos, perfeitamente, criar uma compilação de receitas amigas da nossa saúde e do nosso paladar. Conto convosco?

Bye, bye, Natal!

Meus ricos filhos, pois que achavam que eu ia ficar com os quilos dos sonhos e dos Ferrero Rocher para sempre nesta anca, não era? Que agora ia andar aqui mimimi mimimi, como era antigamente. Mas não: o Natal, e a passagem de ano, já quase saíram do meu corpo. E digo quase porque não fui tão cuidadosa como devia ter sido. Estes dias deram-se-me uns apetites vorazes de bolos e lá comi um ou outro. Também não andei famosa no que a quantidades de água diz respeito. Se não… Ai, se não! Os bons hábitos regressaram agora a mim, assim mesmo para ficar, e eu estou na vontade máxima de lhes dar as boas vindas definitivas. Mais uma semana ou duas e estou de volta ao meu peso ideal, prontinha para dar início a um outro processo de transformação e melhoramento. E o verão não me reconhecerá.