Disseram-me no outro dia: tu eras gorda porque querias. A culpa era tua. Aquilo, assim a seco, doeu. Bolas. Mas depois, pensando bem, é um bocadinho verdade. Continuaram, dizendo: tal como agora, és gostosa porque queres. Porque fazes por isso. O que também é verdade, diga-se. São factos: isto só depende de mim, do meu esforço em comer de forma saudável e do meu empenho nos treinos. Se eu levar a coisa nestes termos, de assumir que dependo só de mim, e acreditar de que sou capaz, não há como errar. A culpa será sempre minha. E ainda bem.

1 Comment on A culpa era tua.

  1. É verdade, embora te possa doer, só eras gorda porque querias, só passavas por bullyng porque suportavas – espero que compreendas o sentido deste suportar – ,porque ouvias e calavas, porque eras jovem e não te soubeste impor como devias, porque deixavas passar um dia e outro e ias-te refugiando cada vez mais de tudo e todos, porque ficavas ali e não fazias nada para mudar. Espero que compreendas este meu comentário que é de alguém que nunca passou por isso, pelo menos não tanto como tu, e fala sem compreender a 200% o que uma pessoa sente quando passa por isso, talvez eu compreenda apenas a 150% porque sou jovem, porque vejo o que os meus colegas fazem aos outros, porque já existem nomes para estas coisas todas quando no teu tempo não existia, porque já nos alertam para estas coisas, porque sempre que me tentavam atingir eu soube impor-me, soube calá-los, soube mandá-los calar, mas também me soube afastar deles, e não os deixar aproximar. Talvez este não seja o post indicado para eu falar sobre isto, mas desde que li o teu post no site da Nit senti que te devia dizer isto, embora saiba que possas levar a mal, embora saiba que tu já reconheceste que podias ter feito para mudar, embora quem estivesse mal não fosses tu, mas eles. Afinal tal como disseste no final deste post: A culpa será sempre tua, e depende de ti mudares, para te sentires melhor contigo mesma. Tal como também depende de mim mudar, para me sentir melhor comigo mesma. Sei que não necessitavas de ler estas coisas, sei que reconheces a verdade no que te escrevi, sei que aprendeste muito com o que passaste.
    Beijinhos.
    http://mariasemlimites.blogspot.pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *