Eu controlo-me muito, todos os dias. Também cedo algumas vezes. Doutra forma ficaria louca. Porque o facto de eu ter mudado a minha alimentação de raiz, não fez com que eu apagasse os meus gostos por coisas boas. Eles continuam todos cá. Por isso é que quem não gosta de comer tem mais facilidade em manter-se magro e quem gosta tem mais tendência para engordar. Genericamente falando, claro está. Isto, porque tenho recebido muitos elogios ao meu controlo e força de vontade e eu não quero ser uma fraude. Quero ser real. E a realidade é que esta coisa do controlo é um trabalho contínuo, do qual serei empregada para o resto da vida. O que eu percebi nos últimos tempos, foi que não vale a pena viver em agonia por não poder comer gelados todos os dias, sobretudo se os comer para compensar uma tristeza, uma desilusão ou uma grande alegria. No entanto, não morre ninguém se eu comer um gelado, porque gosto e porque quero. Esta história do controlo tem mesmo muito que se lhe diga. Eu faço o meu melhor, a sério que faço, mas nunca ninguém me vai ouvir dizer que é fácil. Porque não é.

1 Comment on Sobre o controlo

  1. É isto sem tirar nem pôr.
    Obrigada por esta clareza e honestidade.
    O equilíbrio é uma luta diária, no corpo, na cabeça, na alimentação…E se dá trabalho???!!! Dá um rol de “trabalhões”.
    Mas o caminho é feito de (des)equilíbrios, uns mais prolongados que outros.
    Estamos na luta.
    Parabéns pelo seu caminho e pelas pequenas conquistas diárias, e sobretudo por Gostar de Si. Isso é maravilhoso e inspirador de ver/ler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *