Os toxicodependentes são vistos como tendo um problema. Os alcoólicos também. O mesmo acontece com os indivíduos que são viciados em jogo, em sexo, em tabaco ou noutra coisa qualquer. Todos são dados como pessoas que têm comportamentos que lhes podem comprometer a vida pessoal e profissional. Os viciados em comida são apenas gordos. Seres que têm mais apetite que a maioria, que comem mais do que deviam e, por isso, pesam mais. E o que é que os gordos têm de fazer para deixarem de ser gordos? Têm de fechar a boca, ser menos gulosos, dar uma corridinha ou duas. Esta é a opinião que a maioria tem sobre quem tem excesso de peso. O vício da comida não é levado a sério porque não faz as pessoas cambalear, nem as torna promiscuas, nem as leva a gastar todas as suas poupanças num casino, por exemplo. Enganam-se todos os que pensam que o vício da comida não compromete a existência de quem o vive. Fisicamente é indiscutível: os problemas de saúde, a falta de mobilidade, a dificuldade em respirar. Porém, o que não está à vista pode ser bem mais devastador. Não se diz a um drogado para parar de consumir, assim, do pé p’ra mão, sem se achar que não vai precisar de algum tipo de apoio. Mas aos gordos diz-se. Pára de comer. Não consegues resistir a um docinho? Enquanto este preconceito existir será ainda mais difícil combater a obesidade e os problemas a ela associados. Já é hora de levar a gordura a sério e não como uma questão puramente física. O vício da comida é real e deve ser encarado com toda a seriedade que merece.

11 Comments on Ser viciado em comida

  1. Um texto com toda a razão! Sou estudante de nutrição e cada vez mais vejo que as pessoas são extremamente preconceituosas em relação às pessoas com excesso de peso. Na semana passada chorei a ver o primeiro episódio do Peso Pesado Teen pois achei aquelas histórias de vida horríveis. Como é possível que pessoas martirizem tanto outro ser humano devido ao seu aspeto físico, ao ponto de a pessoa nunca mais sair de casa? Enfim, como costumo dizer, é por estas e por outras que tenho pouca fé na Humanidade…

  2. Concordo plenamente contigo… Costumo dizer isso muitas vezes, enfim as pessoas é que não levam este problema de saúde com a seriedade que ele merece … Até mesmo quando vais ao médico de família e te queixas que sempre que estas stressada devotas tudo o que encontras a frente, especialmente no período nocturno a resposta é: tem de se controlar, tu estas a tentar pedir ajuda e eles pura e simplesmente ignoram !! Enfim, já se passou comigo! Beijinhos e continua a tua/ nossa luta…

  3. Uns dizem que a obesidade é a epidemia do seculo XXI, porém, ninguém leva a sério esta problemática, muito menos criar estratégias para combate-la. Ter acesso a uma consulta num hospital publico daqui a 6 meses é completamente desmotivante e mostra realmente como esta doença é desvalorizada. Obesidade é um problema grave, além de acarretar problemas ao nível da saúde, remete-nos para problemas do foro psicológico. Não se pode varrer para debaixo do tapete!
    O peso pesado é o espelho desta realidade, e mostra como a sociedade é dura com quem não cumpre os requisitos ditos normais.
    Bom assunto para abordares, Joana 😀

  4. Apoiado! Infelizmente parece que este ainda é um assunto tabu… Que devemos sentir mais vergonha de ser obesos, porque só nao nos esforçamos, nem temos força de vontade;do que de ser alcoolico, por exemplo, porque ai padecemos duma doença e merecemos todo o apoio!

    Obrigado por lançar este tema!

  5. Verdade absoluta! Eu sofro de TOC (transtorno obsessivo compulsivo) com arrumações e comida… No que toca à comida, passo a vida a engordar e a emagrecer… (o ano passado por esta altura tinha menos 15kg).
    É um sofrimento horrível! Compenso os meus sentimentos/dias menos bons a comer porcarias… E quanto mais doces melhor!
    Por exemplo, se abrir um pacote de bolachas não consigo parar de comer até acabarem… e depois o que fica não é só um pacote de bolachas vazio, é um tremendo sentimento de culpa pelo que acabei de fazer! Pergunto-me vezes sem conta, mas porque é que não consegues parar?! Mas a resposta não é assim tão simples… é como se o meu cérebro entrasse num modo offline “estranho” em que só me faz acordar para a realidade quando o mal já está feito, ou seja, quando o pacote já está vazio! Enfim… É um processo doloroso, uma realidade com a qual tenho que aprender a viver, com todas as ajudas que tenho à minha disposição.
    Peço desculpa pelo desabafo! Continue a inspirar o dia a dia daqueles que a seguem! Acredito que a maioria sabe perfeitamente o que é sentir o que já sentiu e/ou o que sente actualmente!
    Bjs desta sua seguidora atenta! 😉

  6. Joana, só queria dizer que adoro os teus textos. Cheguei a ti pela NiT e já devorei todo o blog, textos muito cuidados, escrita contagiante capaz de prender quem está deste lado. Muitos parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *