Eu sou medrosa e sofro muito por antecipação. Talvez seja por isso que levo muito tempo a tomar algumas decisões importantes. Porque não sei o que vai acontecer. Porque não sei se me vou sair bem. Porque acho que não lido bem com o inesperado. Até hoje, sinto que tomei três grandes decisões: mudar de emprego, separar-me e perder peso de forma comprometida. Todas estas decisões foram tomadas com imenso medo, muito medo mesmo, mas também com uma enorme esperança de que o que viria a seguir só podia ser melhor. Fosse o que fosse, seria melhor de certeza. E tem sido. Tem sido maravilhoso. Continuo a ter medos, acho que muitos herdei da minha mãe, outros são meus. Também não ambiciono ultrapassá-los todos de uma vez. Ontem disseram-me: não tenhas medo. E, para já, isto parece ser suficiente para tomar mais meia dúzia de decisões, assim daquelas mesmo importantes. (Quase) sem medo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *