Tenho ouvido umas bocas sobre exibição. Porque agora estou magra. Porque agora me quero mostrar. Porque agora quero envergonhar os outros. Quem me conhece desde sempre, sabe que sempre fui uma pessoa extrovertida e entusiasmada com a vida no geral. No entanto, persistiu em mim algum desconforto por viver fora da norma. Nunca fui a miúda magra do biquíni giro. Nunca fui a mais popular. Esta alegria, que atualmente os outros dizem ver na minha pessoa, prende-se com o bem-estar e a tranquilidade que sinto. Eu vivi 15 anos em luta: com a comida em excesso, com o exercício que devia fazer e não fazia, com as calças apertadas, com os tops da moda, que queria usar mas achava que não podia. A maioria das pessoas apresenta a sua melhor forma na adolescência e nos 20’s e eu só estou a sentir essa leveza (quase) aos 30’s. E é bom. É muito bom. Não é exibição, é paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *