fotografia (2)

A maior alegria que eu tenho nesta coisa toda da perda de peso é poder vestir o que me apetece. Podia dizer que me sinto incrivelmente feliz por estar saudável, forte, ágil e capaz, mas ter um corpo de que gosto, e no qual tenho orgulho, provoca-me um entusiasmo difícil de explicar. Antigamente, havia uma série de peças de roupa que eu não vestia: calções, blusas de alças, saias acima do joelho, vestidos justos. Arriscava pouco. Achava que não podia, que não devia expor-me. Por ser gorda. Por estar fora da norma. Ontem saí de casa com uma t-shirt branca, calções  de ganga e ténis. Senti-me mais bonita do que nos dias em que me aperaltei para uma festa ou um casamento, com cabelo esticado e maquilhagem a condizer. Se há condição que prezo é a de ser livre. Livre de ser quem eu sempre quis ser. Há quem diga que os gordos são pessoas felizes. Eu não era, mas agora sou. Sou uma Perna Fina Feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *