Todos os dias me esforço um bocadinho mais. Tenho-me obrigado a isto porque ninguém pode ser tão exigente comigo, como eu devo sê-lo. Os frutos que tenho colhido são sumarentos, mas ultimamente tenho acusado algum cansaço e hoje talvez me tenha sentido no limite. A cabeça doeu-me o dia todo. O corpo arrastou-se a cada movimento. A alma só acompanhou a carne e os ossos. Entre um dever e outro, sentei-me numa esplanada e usufruí de uma bola de gelado de morango. Por alguns minutos, permiti-me lamentar o desgaste físico e emocional dos últimos tempos. Depois levantei-me, direta para o compromisso das 18:30, e segui mais tranquila. No final do dia fui para o CrossFit, onde tive de saltar milhentas vezes para cima duma caixa. O resto da neura foi passando, sempre que subi a pés juntos. Há dias assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *