Há já duas ou três consultas que a minha doutora ralha comigo por beber menos líquidos do que preciso. Todos sabemos que beber água faz bem a uma porradona de coisas, entre elas a perda de peso e a eliminação de líquidos em excesso no organismo. No meu caso, por praticar CrossFit três vezes por semana, a água revela-se também fundamental na recuperação muscular. Apesar de saber isto tudo, tenho bebido pouquíssimos líquidos. Tenho sempre uma garrafa de água na secretária, até porque passo o dia a falar com os miúdos e as minhas cordas vocais estão longe de terem uma saúde espetacular, mas ultimamente a mesma garrafa tem permanecido intacta dias a fio. Acho que é do frio: não me apetece beber água, pronto. Sim, eu sei que posso fazer chá, que até me vai aquecer, mas olha, não tenho cumprido nada disso.

Hoje voltei ao trabalho e trouxe comigo uma garrafa de um litro e meio de tisanas e, para garantir que a bebia mesmo, pus um alarme no telemóvel que tocou a cada vinte e cinco minutos. Sempre que o toque se fez ouvir, pimba: eu emborquei um copo de tisanas. Às onze da manhã já a garrafa ia a meio e a seguir ao almoço já a tinha quase acabado. Percebi que consigo aumentar a quantidade de líquidos facilmente, como em tudo na vida, se for metódica e persistente. Este alarme hídrico é capaz de ter sido a melhor invenção dos últimos tempos. Senhores das apps, não querem criar uma aplicação qualquer para regular o consumo de água das pessoas? Ah bolas, fui confirmar e já existe! Lá se foi a minha oportunidade de ficar milionária e de ir passear o meu corpinho para as Maldivas por tempo indeterminado.

2 Comments on Alarme hídrico

  1. Eu não percebo porque não tem comentários. Eu estou mesmo a adorar os seus posts. São hilariantes. Eu já não me ria assim faz tempo. A sua maneira de escrever faz me imaginar a sua cara quando acontece as coisas. E deve ser mesmo muito engraçada. Obrigado por estes momentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *