Mês: novembro 2014

Eu quero um Ferrero Rocher

Eu quero muito um Ferrero Rocher, mas quero ainda mais atingir o meu objetivo. Por isso, vou ignorar o facto de um aluno me ter dado uma mega-caixa dos chocolates do Ambrósio e vou seguir com a minha vida.

“A máquina não tem aí nada para chupar”

Uma amiga contou-me que a tia trabalha com uma máquina que chupa gordura localizada. P’la conversa, pareceu-me que a máquina era mesmo uma bomba e senti-me tentada a experimentar.

Levantei logo ali a camisola e perguntei-lhe:
– Achas que a máquina da tua tia faz alguma coisa aqui?

A minha amiga, que está grávida de gémeos e diz sentir-se enorme, respondeu-me:
– Cala-te, pá, até me estás a enervar. A máquina não tem aí nada para chupar.

Foi elogio que me durou o fim de semana inteiro. Não há máquina que bata o crossfit.

63

Hoje foi um dia muito feliz. Subi à balança e aos meus olhos, e aos olhos da minha querida doutora, apareceu um 63 (e uns pózinhos). Ficámos, as duas, muito felizes. O 63 era o objetivo inicial. O limite entre estar saudável e estar com excesso de peso. Hoje foi por isso estabelecido um novo objetivo.

Depois da consulta, já no carro, comovi-me um bocadinho. Chegar até aqui saiu-me do pêlo. Mas o que interessa, o que realmente importa, é que eu me sinto como nunca me senti: livre de um corpo que era meu, não o sendo na verdade.

E a minha doutora, a doutora Catarina, é a melhor do mundo. Foi a primeira pessoa da minha vida a mostrar-me que a relação que mantenho com a comida pode ser pacífica. Bem vivida. Sou-lhe muito agradecida. Obrigada, doutora, para sempre. (Eu sei que vai ler isto.)

Faltaste ao Crossfit, Perna Fina? Pagas com o corpinho que até guinchas.

Diz que na segunda-feira faltei à aula de Crossfit. Eu juro por todos os santinhos que não foi intencional. Atrasei-me noutros compromissos e acabei por não estar pronta a horas. Achei que devia mandar um mail, têm sido todos tão atenciosos comigo. Acabei por não mandar. Achei, também, que a minha falta passaria despercebida e que ninguém se lembraria dessa mancha no meu tão recente currículo de praticante da modalidade.

Hoje, assim que entrei na box, ouvi um grito:
– OH JOANA, tens aqui um presente para ti.
Uma rapariga olhou para mim com ar de pena e disse:
– Dali nunca vêm coisas boas.

(mais…)

Estou confusa

Ainda ontem dizia ai-que-está-um-calor-que-não-se-aguenta e hoje chego ao hipermercado e deparo-me com toda uma exposição de enfeites natalícios. Pronto, a decoração condiz com o tempo. Hoje esteve um frio medonho. Até os meus alunos, que são os Zés dos Calores, voltaram à sala para ir buscar os casacos.

Já eu, que tinha investido grande parte dos meus tostões em túnicazinhas e coisas do género, porque achava que este calor ia durar até janeiro, passei o dia a bater o queixo. Peguei em mim e fui em passo de corrida procurar um casaco (que uma Perna Fina constipada não rende no Crossfit).

Não encontrei nadinha que me agradasse e amanhã lá voltarei a tremelicar de frio. Ou então não. Talvez o sol torne a brilhar com todo o seu esplendor, e calor, e eu volte a poder usar os meus últimos investimentos na área da indumentária. Isto do tempo é coisa para maçar uma Perna Fina. Oh lá se é.

Segunda-feira

Por muito que te esforces,
Ninguém te acha muita graça.
Trazes agarrada a ti a rotina,
Que volta feita carraça.

Oh, segunda-feira,
Modera-te lá um bocadinho.
Não descansei tudo o que queria,
Só penso num óozinho.

Maldito dia sejas tu!
Mas por que insistes em ser assim?
És sempre tão dura.
Custa-me tanto a ver-te um fim.

Oh, segunda-feira,
Desiste lá de aparecer.
Se tu não existisses,
Eu teria outra alegria de viver.

“És uma dondoca”

Disseste-me tu hoje, irmão. Tudo porque insisti contigo ao pequeno-almoço para vires correr comigo e porque te chateei por estares a comer manteiga com torradas, se é que me entendes. O que eu acho que tu querias dizer era: “Cala-te, pá. Sempre foste gorda e eu sempre fui magro. Sempre fizeste dietas e eu sempre comi tudo o que quis. Oops, agora tu estás magra e eu estou gordo. Mesmo assim, isso não te dá o direito de me dizer que tenho de pôr menos manteiga no pão e que tenho de começar a correr, se não quero ver a minha vida amorosa arruinada para sempre, dado o tamanho da minha barriga.”

(mais…)