E se pudéssemos posicionar homens e mulheres numa escala de 0 a 10? Estaríamos todos de acordo com os critérios escolhidos? O que faz, aos olhos de um homem, uma mulher ser um 10? E um 2 ou um 3? E para as mulheres: que atributos um homem precisa de ter para estar no topo da classificação? Será que uma mulher que vale um 5,5 pode andar com um homem 8 ou 9 ou vice-versa?

Hoje ouvi com toda a franqueza: tu, neste momento, não és um 8,5. Assim, a seco. Não explorei a fundo os critérios de classificação, mas, para o avaliador, os pontos-chave de uma mulher são (preparem-se para se surpreender): rabo, mamas e cara. Tcham, tcham, tcham, tcham. Mas bom, é legítimo. Qual é a senhora que não se derrete por um tipo com cara de bebé chorão, que tenha uns abdominais fabulosos e uns braços que parecem ter força suficiente para mover o Cristo Rei?

Isto tudo porque falávamos sobre casais e sobre as semelhanças e diferenças que podem existir nos elementos de um par. A verdade, é que às vezes vemos passar na rua casais que muito pouco parecem ter a ver um com o outro, fisicamente falando, claro está. O que nos faz sentir atraídos por outra pessoa? É só o interior que conta? Bah! Os valores têm sempre de condizer para que a coisa dê certo? Será que uma pessoa que nasceu 5, se pode tornar um 8? Ou mais?

A minha mãe sempre me disse: quem nasceu para 5, nunca chega a 10. Mas acho que esse ditado se refere a outros aspetos da vida. Assim o espero. Entretanto, vou trabalhar para subir na escala. Ou então, trato de encontrar um avaliador mais simpático, mas talvez menos honesto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *