Hoje cheguei 15 minutos mais cedo. Os três treinadores olharam para mim como quem diz: de hoje não passas (sim, porque eu já tinha ido a duas aulas e fugido ao castigo). Um disse que eu tinha de fazer 40 burpees. Outro disse que eu tinha de fazer 55. O terceiro disse que eu tinha de fazer 45. Obedeci ao terceiro. Obedeci ao chefe da box.

Lá fui eu, como quem caminha para o purgatório, e pimba. Aos 10 de cada vez, lá fui fazendo a coisa, ao mesmo tempo que maldizia a minha vida. Quando tinha feito 12, O Bonito deu o ar de sua graça:
– Minha menina, os burpees terminam com uma palma, com os braços levantados.
– Mas eu já fiz 12?!
– Eu sei, mas não contaram.

#$%&-se, disse eu em boca pequena, e lá continuei. 40, 41, 42, 4…3, 4…4 e 4…5! Feito. Feito! Juntei-me ao grupo, porque entretanto já estava na hora da aula.

– Então, Joana? Aqueles primeiros 12 não valeram. – disse O Bonito.
Outros continuaram:
– Pois… E aquelas palmas não foram bem palmas. Tocaste só com a ponta dos dedos.
Eu, já farta daquela brincadeirinha, disse convictamente:
– Pronto. No final do treino eu repito os 12.
– Ouviram todos o que a Joana disse? Depois do treino vai repetir os 12 que não contaram. – gritou O Bonito. (Raios o partam!)

Nesse momento, um rapazinho, com idade para ser meu irmão mais novo, olhou para mim com um ar solidário e disse:
– No final, eu faço os 12 burpees contigo.
Eu pisquei-lhe o olho e a aula começou.

A aula foi a pior de sempre. No fim, fui ter com o rapaz e lá me voltei a dedicar à causa dos burpees. Ele, amoroso, esperou por mim em cada repetição e contou-as uma a uma. 10, 1…1 e 1…2! Eu agradeci o apoio e, a suar de nervos que nem um perú em véspera de Natal, fui dar uma pancadinha (de amor) n’O Bonito:
– Eu fiz os 12, ãh? Eu fiz os 12.
– Bom trabalho, Joana. Muito bom trabalho.

A minha vida agora (também) é isto. Suar que nem uma porca, dar pancadinhas (de amor) n’O Bonito e chegar a casa e não levantar bem os braços, ao ponto de não conseguir lavar bem o meu próprio cabelo. Isto não está facil, mas nunca esteve tão bom.

3 Comments on Eu pago as minhas dívidas, ãh?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *