Tudo é maravilhoso quando se perde peso: mais saúde, mais elegância, mais autoestima, mais roupa para vestir, mais, mais, mais. Tudo é maravilhoso, à exceção do facto de ficar sem rabo. Na verdade, no rabo saí ao Sr. Meu Pai. Parece que levámos um pontapé no fundo das costas e que no sítio onde assentam os bolsos das calças não mora ninguém. E este é um desgosto que me assola há uns anos. Vá, não me tira o sono, mas chateia-me um bocadinho. A culpa é das Beyoncés e das JLos da vida. Elas, que exibem uns rabos que-sim-senhor, arruínam todas as hipóteses de eu gostar verdadeiramente do meu!

Percebi há uns dias que existem páginas nas redes sociais só sobre este assunto. Afinal, não sou a única mulher do mundo sem rabo. Na verdade há milhares, milhões de mulheres com o mesmo sentimento que eu. Em que é que algumas delas me ganham? Pararam de se lamentar e deram o corpo, neste caso o rabo, ao manifesto. Isto lido assim de repente pode parecer estranho, e até duvidoso, mas não tem duplo sentido nenhum. As mulheres que tenho encontrado vêm provar que nenhum rabo está perdido e que, com muito exercício (e eu diria que umas massagenzinhas também devem ajudar), qualquer moça pode ter o rabo dos seus sonhos.

Pois que estou com vontade de me empenhar nisto. Eu estou com fé no crossfit, confesso. De qualquer forma, vou continuar a consultar estas páginas e perceber como é que algumas gaiatas conseguem transformar um rabinho comum, num rabo do outro mundo, (acreditando que todas as fotografias de antes e depois são minimamente verdadeiras). Eu não quero que o meu seja doutro mundo, não. Só quero melhorá-lo um pouco. Só um poucochinho! Enquanto isso não acontece, vou só ali chorar um bocadinho. Ao mesmo tempo vejo, pela enésima vez, o vídeo da Beyoncé dedicado às Single Ladies (e intensifico o choro).

1 Comment on Um rabo doutro mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *