(Antes de apresentar o 4.º dia, devo dizer-vos que no dia do 3.º treino apaguei, sem querer, o texto que escrevi. Ontem estive doente e não consegui reescrevê-lo. De qualquer forma, deixo-vos a descrição do 4.º dia, valendo p’los dois.)

Ontem não consegui cumprir o treino do 4.º dia. Uma virose brutal, ou talvez uma cebola que me caiu mal, deu-me uma volta à tripa e o meu final de dia foi passado a gritar p’lo “Gregório”. Por isso, hoje passei o dia a sentir-me fraquinha, com as pernas bambas. De qualquer forma, cheguei a casa, equipei-me, alonguei e saí para correr.

Nada de novo no percurso. O tempo é que mudou: o caminho que no 3.º dia fiz em 40 minutos, hoje fiz em 35. Falamos só de 5 minutos de diferença, que demonstram, de alguma forma que estou a correr mais rapidamente. Apesar disso, não acho que tenha sido muito mais veloz. Acho, sim, que já apanhei o meu ritmo, que não sendo muito acelerado, é constante e não me puxa para trás.

Neste 4.º dia senti, também, que a minha resistência está a aumentar a olhos vistos: fui capaz de recuperar do esforço muito mais depressa. Acho que estou a começar a gostar disto! Ai, se lhe apanho o gosto.

Amanhã há mais e nos próximo 23 dias também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *