Queridas Pernas,

Escrevo-vos esta carta porque sinto que vos devo um enorme pedido de desculpas. Ao longo dos anos tenho-vos maltratado, ofendido e estimado muito pouco. Sendo o mais honesta que consigo, confesso-vos que nunca morri de amor por nenhuma das duas. Sempre vos achei demasiado, vá, gorduchas, meias tortas, com uns joelhos de fugir… Isto já para não falar da chegada da celulite. Quando deixaram que essa hóspede se instalasse, a minha revolta convosco tocou no limite.

Porém, hoje, vejo-vos com outros olhos. Os anos têm-me trazido tranquilidade e capacidade de pensar cada vez melhor. Não, não posso dizer que vos passei a achar perfeitas, lindas de morrer, dignas de se mostrarem ao lado das da Ivete Sangalo, mas posso dizer-vos que sinto por ambas um novo carinho, muito especial. De facto, vocês não cabem no esteriótipo, mas são vocês que, à vossa maneira, me permitem andar por onde quero, correr mais depressa ou mais devagar. São vocês as primeiras a sentir o friozinho da água do mar no verão e a ficarem em escamas no inverno (porque raramente vos unto com creme, sorry). Para além disso, são vocês que vivem constantemente apertadas nas calças que comprava na esperança de emagrecer, mesmo sabendo que não fazia nada por isso.

Queridas pernas, por tudo isto, peço-vos desculpa. Se são como são, em parte, é culpa minha. Se eu tivesse começado a mexer-vos há mais tempo… De qualquer forma, não posso terminar esta carta sem vos prometer que a vossa vida está, por esta altura, com sérias hipóteses de melhorar. Eu tenho-me esforçado e as duas têm-se portado bem. Agora, não sei se vamos a tempo de fazer milagres (eu cá não acredito muito em milagres), mas vamos a tempo de sermos felizes juntas, de nos aceitarmos assim como somos, ainda  que aceitemos de boa vontade alguns melhoramentos. Ah, mais uma coisa, não se sintam afrontadas com toda esta cena da Perna Fina. A Perna Fina vive dentro de mim e está muito além da vossa grossura ou finura.

Espero, sinceramente, que percebam os meus motivos e que me aceitem. Eu já vos aceitei e sinto-me melhor pessoa por isso.

Um grande beijinho,
Perna Fina.

1 Comment on Carta às minhas Pernas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *