Hoje tive os melhores e piores 30 minutos da minha vida. Cumpri o primeiro dia do desafio das 28 corridas. Antes de sair de casa alonguei bem as pernas, como quem aquece os motores. Os minutos que se seguiram foram aterradores e entusiasmantes. É correr até cair, Perna Fina.

Comecei convicta, mas com algum medo. Confesso que à partida assumi que durante uma parte do percurso andaria. O sítio onde moro tem uma longa subida, que ainda não seria capaz de fazer a correr. Tirando essa rua, correr, correr, correr.

Saí de casa e comecei logo a corrida. Senti-me ridícula. Aos meus olhos parecia um elefante numa loja de louça, mas continuei. O ritmo era constante. Os meus pés pareciam fazer música. Começava a achar graça àquilo. Sempre de olho no relógio, percebi que de minha casa à tal subida levei apenas 8 minutos. Na subida, como antevi, o chão começou a andar para trás e o coração estava prestes a rebentar. A boca sabia-me a sangue e na cara sentia tanto calor como em pleno mês de agosto. A subida quase me matou. A arrastar-me, comecei a correr de novo. Agora, o elefante na loja de louça estava descabelado e com os bofes de fora. Pior não podia ser.

Corri, corri, corri e só parei de fazê-lo quase à porta de casa. “Céus, não fui feita para isto! Agora fui prometer, com testemunhas, que ia fazer isto durante um mês! Aiiiiiii!” Rebolei p’las escadas do prédio, entrei em casa e atirei-me, literalmente, para o chão do quarto. A janela estava aberta e o sol iluminava o espaço. Deitada de barriga para cima, de olhos fechados, senti-me sair de mim e sorri com tanta felicidade como aquela que encontro sempre que como chocolate.

Somos capazes de tudo o que queremos muito. O meu objetivo, para além de cumprir a promessa, claro, é conseguir correr aquela subida. Ah, maldita subida. Hei-de correr por ela acima.

Amanhã há mais e nos próximos 26 dias também.

1 Comment on Desafio dos 28 dias: 1.º dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *